NOS BECOS DA WEB...

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Show de Bola

Sabe, acho que há uma certa luta de classes ofuscada no futebol carioca. O torcedor negro, pobre, morador da favela (pois há um preconceito classista contra os flamenguistas, sim, chamados de "favelados" e "trombadinhas") que reúne todas as suas forças para apoiar um time de forte apoio popular como o Flamengo, cujos jogadores sempre dão duro no campo, ainda mais quando se trata de uma partida contra seu principal adversário, o Vasco, que por sua vez representa os portugueses descendentes dos antigos senhores de engenho, que escravizaram os negros que hoje são torcedores do Flamengo. Desculpem-me se alguém já falou isso antes, não procurei ler nada a respeito e ignoro anterior análise sobre o assunto. Continuando, é até conveniente para as elites que o Flamengo ganhe sempre (como os flamenguistas não se cansam de dizer), pois, assim, a luta de classes se resolve no campo e não toma proporções "indevidas". Os torcedores, representando suas respectivas classes (um torcedor de classe média que opta pelo Flamengo toma o partido do "povão"), ao direcionarem todas as suas energias para o futebol, apaziguam a luta de classes nos demais campos sociais.

Claro que não é tudo "preto no branco", e pode haver um torcedor flamenguista e elitista, pois dissocia o futebol de sua dimensão social.

Indo um pouco mais fundo, a insurreição flamenguista contra o vascaíno português (pleonasmo), pode ser vista como uma legítima revolta da população brasileira, já constituída com o acréscimo do elemento africano, contra as elites europeias (neo)colonizadoras, representadas por Vasco da Gama.

O mesmo se dá na rivalidade futebolística entre Rio e São Paulo. O carioca, visto como "farofeiro", ou seja, do povo, contra a elite industrializada de São Paulo.

Talvez seja por isso que o futebol seja tão importante economicamente. Ao direcionar toda a energia da população mundial para as disputas nos gramados, os grandes empresários do esporte "põem panos quentes" na luta de classes, amortecendo os conflitos (que ficam reduzidos a meras guerras - demasiadamente infantis - entre torcidas) e aquecendo a economia global com o constante espetáculo do futebol.

3 comentários:

Nita disse...

Bem vinda ao meu jardim.
Volto.

Beijo

Van disse...

Oi Coral

hoje posto o balanço daquela blogagem coletiva, bem atrasada mas ainda em tempo de agradecer a todos vocês.

Beijos!

XOXÓ NO SEU FIOFÓ disse...

Olá, grande abraço, o blog tá legal!


X.